Porque eu decidi casar mesmo conhecendo a Real há vários anos?

Cena comum aqui em casa: minha mulher enchendo o saco porque eu não ajudo nas tarefas de casa (ela não trabalha, porra só faz afazeres domésticos) .

Uma das coisas que alguns me perguntam é porque raios eu decidi casar, mesmo conhecendo a real desde 2005, e tendo conhecido a real pobretana quase em seu começo. Sim amigos, existem vários e excelentes motivos para não se casar hoje em dia. Antes de eu decidir casar, deixe-me dar-lhe a principal razão pela qual NENHUM homem hoje em dia deveria se casar

NÃO EXISTEM MAIS MULHERES COMO ANTIGAMENTE

E quando falo antigamente, falo antigamente mesmo (mil oitocentos e bolinha). A minha mulher faz todas as tarefas da casa, só não cozinha para mim (ela faz o arroz e o feijão, porém é para “todos” o que inclui minha sogra e 3 cunhados, que moram ao lado, onde ela faz a comida, já que dividimos a cozinha. Explicarei isso melhor mais adiante.)

As mulheres de hoje tem uma facilidade incrível nas tarefas domésticas (se assim quiserem). Máquinas de lavar roupa, ferro de passar elétrico (antigamente era a carvão, minha vó tem um desses),forno a gás (novamente, era à lenha), microondas, geladeira, lava-louças, aspirador de pó, produtos de limpeza poderosos, que deixam a casa como nova, etc. Nem preciso falar nada. O fato é que minha mulher se começar a arrumar a casa de manhã, mesmo numa faxina geral, antes do meio-dia ela termina. Parece muito? Isso é 50% do tempo que levava antigamente. E pode ser ainda menor. Ela insiste em lavar a casa toda, todo dia, ao invés de passar um pano. Não estou simplesmente reclamando da limpeza, o que é bom, mas da neurose dela com isso. Vocês precisam ver. Moro numa área de terra/lama, então realmente é preciso uma limpeza diária. Mas ela exagera.

Outra coisa que é difícil encucar nela (e em qualquer mulher hoje em dia) são os valores machistas cristãos. Ela já foi altamente infectada pelas idéias feministas básicas (querer trabalhar fora, não depender de marido, etc) o que é péssimo. Consegui cortar a maioria das amigas vadias dela, porém ainda restam algumas, que sei que não conseguirei.

Não reclamo da forma como ela cria nossos filhos, apesar dela ser meio mole para dar broncas/castigos.

Mas isso ainda passa. Enfim, infelizmente todos os defeitos dela só fui perceber após casado. Mas se engana quem pensa que eu casei por paixão/emoção/chá de buceta,  ou coisa parecida. Foi uma escolha. Uma má escolha, eu reconheço, mas eu decidi, e vou (na verdade dou forçado a ir) até o fim com ela. A pergunta é: Por que?

(Se você falou que eu sou da ala casamenteira da real, a resposta é: já fui)
Não tenho a esperança de reconstruir a civilização ocidental sozinho. Sei que nunca ficarei milionário, ainda mais casado. Porém uma coisa eu tenho e deixarei de legado e patrimônio: conhecimento aos meus filhos.

Como já falado inúmeras vezes no blog, eu sou cristão. E no cristianismo, para aqueles que o levam a sério, ou você se casa, ou vive na castidade. Ou seja, sem pornô ou putas. Por mais que eu tenha tentado, vi que a castidade não é para mim. Precisava arranjar uma mulher. Sim, eu deveria ter arrumado uma da igreja, convertida, sei que ficaria bem mais fácil. Porém além de nenhuma das patys da igreja dar bola para um JPBF como eu, na época eu nem era convertido (era da ala de Ateus da real). Já namorava há bastante tempo com ela, desde a época que nem emprego eu tinha, ne um tostão furado, nem perspectiva de futuro. Até onde eu já rastreei (keylogger, testes, etc) nunca vi indícios de traição ou algo parecido até hoje. (Já estamos há 7 anos juntos, sei que rentabilidade passada não é garantia de futura, mas pelo menos nesse investimento o retorno foi melhor do que o comum.)
Quando me converti ao cristianismo, vi meus erros, vi o que precisava ser feito. Ou eu terminava com ela ou eu casava. A menstruação dela atrasou. Na época, na verdade estávamos tentando ter filhos, vai saber o porquê. Esse atraso foi o estopim para minha decisão. aguardei um tempo, dois meses depois o resultado era positivo. Eu até poderia dizer que o filho não era meu, adiar, pedir DNA, etc. esperei meu filho nascer. E sim, era meu. Não iria deixá-lo sozinho e ser criado por uma mãe solteira como eu fui. Senti o desejo de mudar o futuro dele. De ensinar tudo o que eu sei. De tirar uma pessoa da Matrix desde pequeno. E sonhei alto. Sonhei em formar uma “família Amish” por assim dizer. Nelas os filhos ajudam os pais nos negócios desde pequenos (6-7 anos) e quando estão na adolescência já tem uma boa experiência. Ou seja, mão-de-obra barata, (eu sei, trabalho infantil é crime, mas existem empregos, como ator ou modelo, em que eles são aceitos, então vou fazer algo do tipo, pode apostar, já vi propostas disso, e foi bem interessante)
Resolvi aplicar o verso “Os filhos são herança do Senhor, um PRESENTE (Uma Benção) que ele nos dá” do Salmo 119. Quem em sã consciência recusaria um presente do própio Deus? eu sei, filhos dão MUITO trabalho. Mas podem sim, se utilizados com esperteza e inteligência, revertidos em lucro. Na verdade o mais velho de 3  anos já me deu uma excelente idéia, que ainda não pude concretizar, mas até o fim do ano falo pra vocês, se eu conseguir, me aposentarei bem cedo, antes do que espero.
Então foi assim que eu casei, há uns três anos atrás. Sim, temos brigas constantes, e ameaças de divórcio também. Foda-se estou nessa pelos filhos, e a guarda compartilhada já é lei. Moro na casa dela, e não tenho nenhum patrimônio para dividir, exceto esses quase 5 mil reais, que vou passar para o nome de um laranja se for preciso. Pelo que eu vejo, ela também está nessa só pelos filhos e claro, porque eu sustento a casa. Sei que no dia em que ela conseguir um salário igual ou maior que o meu (o que é bem difícil, sou servidor público, Celetista, mas ainda assim ganho o suficiente) ela separa. Mas espero que ninguém assuma uma mãe solteira de dois filhos tão cedo. De certa forma ela não é tão louca assim, acho que ela aguenta pelo menos até o filho mais novo completar uns 7 anos (ele fez um, então ainda tenho 6 anos pela frente).
Me casei por puro interesse, na verdade não amo ela, nem acho que ela me ama. Procuro cultivar o amor, levá-la à igreja e tudo mais, mas ainda não vi muitos resultados. Antes que perguntem, sim, por incrível que pareça ainda fodemos, o sexo ainda está normal para uma vida de casado.
Enfim, façam perguntas aí no blog.!