As agruras e sofrimentos do meu trabalho

Sim galera eu sei que é bem chato falar disso aqui, mas a realidade é que eu estou de saco cheio do meu trabalho. Não me venha com haterismos de dizer que eu devia dar graças a Deus por este emprego, pois se fosse o caso já podia estar num melhor, mas meus planos não deram certo. O fato é que assim como a maioria, eu passo por situações que vão desde estressantes a no mínimo hilárias em meu ambiente de trabalho.

Tudo começa antes mesmo de eu ir chegar no meu trabalho. Se eu entro às 6 da manhã eu tenho que acordar e me arrumar no mínimo às 5. Como o local fica meio “distante” (creio que quase uma hora  e meia a pé +- 8km) uma condução vem buscar os funcionários.  Durante o dia temos um ponto (assim como ponto de ônibus) e à no período escuro ou chuvoso somos deixados em casa. Maravilha não? NÃO!!! A pior coisa do mundo é andar todo dia com passageiros e motoristas chimpas. É quase uma amostra grátis de andar de busão, só que com mais faladeira e ar condicionado torando (não eu não gosto, sou friorento mesmo no norte).  O motorista é um velho mangina e só gosta que as mulheres sentem no banco da frente (e um amigo fdp dele). Eu nem ligo e sento onde eu quiser. Ah, e o pior de tudo nem é a faladeira dos chimpas mas a porra da música que o motorista fdp sempre põe. É quase como ficar escutando funk todo dia (ele não escuta isso, mas músicas piores).  É sério quem é que curte música alta logo de manhã cedo? Só isso já me faz chegar no trabalho irritado. Como a estrada é péssima (se não é barro e lama é poeira até o talo) não tem condição nenhuma de eu ir de moto, até porque vendi a minha faz tempo. E o auxílio que a empresa dá para quem vem de condução própria não cobre mal 50% da gasolina gasta, quiçá os futuros gastos com manutenção no carro devido a estrada horrível.

Outro ponto é que, antes de entrar, exceto pela parte da madrugada (quando somos os primeiros a chegar) passamos por uma certa vistoria (coisas da legislação).  Ora porra se eu quisesse levar uma arma, bomba ou sei lá o quê não era só eu aproveitar essa brecha da madrugada? É cada norma sem noção viu. Aí quando a máquina resolve endoidar e apitar lá vai eu ter que tirar os sapatos, cinto, etc.

Temos algumas tarefas simples, mas que para manter a “segurança operacional” não podem atrasar.

Uma delas é enviar uma espécie de relatório a cada hora cheia. E ai de você se não mandar, o chefe falta querer sua cabeça e você pode ser demitido por justa causa se fizer isso sempre (já que é uma obrigação prevista em contrato).

Além disso existe outras planilhas de estatísticas diárias que quem está no turno da noite fica encarregado de preencher. São bem simples, e elas poderiam facilmente ser feitas num dia só do mês ou até uma vez por semana. Porém novamente se você não fizer no dia os colegas vão reclamar, mesmo isso não atrapalhando em nada a parte deles.

Ultimamente o chefe andou cortando algumas “benesses” nossas. Quando estávamos no intervalo de descanso usávamos esse tempo livre para bem, matar o tempo mesmo. Íamos tirar um cochilo, acessar a internet ou assistir a SKY que cada um pagava uma parte por mês. Ele mudou  a TV de lugar tornando impraticável assistir no lugar atual. Resultado: todo mundo resolveu cancelar a SKY. Falou que quem tá lá é pra trabalhar e não pra ficar dormindo (coisa que ele já fez inúmeras vezes, mesmo fora do intervalo de descanso que ele nem tinha direito). Para acessar a internet restou somente um computador (não pode mais usar os equipamentos da empresa) pelo menos o PC não é lixoso, só não tem privacidade nenhuma. Se não gostou acesse com o celular (o sinal 3g aqui é horrível). Também implementou outras medidas escrotas, tais como uma mini-reunião mensal para “reforçar pontos e instruções já passados anteriormente”. Na verdade é só pra te meter o esporro na frente de todo mundo mesmo. Tá quase ficando pior que o antigo, mas ainda é mais tolerável.